Pacto Pelas Crianças certifica primeiros 10 multiplicadores do Projeto Padaria Artesanal

Projeto Padaria Artesanal será expandido no Piauí por meio de cooperação técnica com a Seduc

 A coordenadora do Pacto pelas Crianças do Piauí, Isabel Fonteles, participou nesta quarta-feira (7), da certificação dos primeiros 10 multiplicadores piauienses do Projeto Padaria Artesanal, em Brasília, que é coordenado pela segunda-dama do Brasil, Lu Alckmin, e será expandido no Piauí por meio de um acordo de cooperação técnica com a Secretaria de Estado da Educação (Seduc), com a criação de 9 centros de capacitação, sendo uma unidade polo e 8 unidades descentralizadas para formar populares.

Foto: Divulgação / Governo EstadualCoordenadora do Pacto pelas Crianças do Piauí, Isabel Fonteles
Coordenadora do Pacto pelas Crianças do Piauí, Isabel Fonteles

Os 10 primeiros multiplicadores que participaram do curso, em Brasília, são professores da Rede Estadual e repassarão os conhecimentos adquiridos por meio do cursos de panificação que serão ofertados em nove escolas piauienses:  o CEEP José Pacífico de Moura Neto, o Centro Integrado de Educação Especial (CIES), a Escola Família Agrícola Soinho, a Escola Família Agrícola de Turismo (EFATUR), Unidade Escolar João Emílio Falcão (Escola Indígena Oka ka Inaminanoko), todos em Teresina, e no interior do estado, na Escola Família Agrícola José Nery dos Santos, em Miguel Alves; na Escola Família Agrícola Santa Ângela, em Pedro II; no CEEPRU Maria Amália, em Bertolínia, e na Escola Família Agrícola Dom Edilberto IV, em Oeiras.

A coordenadora do Pacto pelas Crianças do Piauí, Isabel Fonteles, destacou a importância da iniciativa para o combate à fome e a insegurança alimentar, em especial das crianças. “Eu me sinto muito feliz em poder fazer essa parceria com o projeto Padaria Artesanal para levar ao Piauí o aprendizado e multiplicar para que mais pessoas possam ser beneficiadas, ajudando assim no combate à fome e a insegurança alimentar. O projeto vai capacitar mães e cuidadores em situação de vulnerabilidade para que possam alimentar nossas crianças com um produto muito nutritivo, que são os pães, e possam ter uma possibilidade de incremento da renda”, disse.

A segunda-dama do Brasil, Lu Alckmin, falou do prazer em ver o projeto que idealizou ganhar capilaridade e poder ajudar pessoas em outros estados. “Hoje é um dia muito especial. São 10 piauienses que estiveram aqui se capacitando e que levarão conhecimento a centenas de pessoas. Esse projeto já mudou a vida de muitas pessoas em São Paulo e em Brasília e agora é a vez do Piauí oportunizar que o Padaria Artesanal possa transformar vidas”, comentou.

Gabriela Oliveira, assessora especial do Regime de Colaboração entre Estado e Municípios do Piauí, explica que o projeto vem sendo implementado há alguns anos por Lu Alckmin, tendo iniciado em São Paulo quando ela foi primeira-dama. “É um projeto que visa,  além de dar comida para quem tem fome, também profissionalizar as pessoas em situações vulneráveis, para que elas possam ter uma renda extra para que elas possam multiplicar o curso em outros locais", disse.

Segundo Gabriela, o Piauí está iniciando esse processo de implementação do projeto para atender, principalmente, mães de crianças de 0 a 6 anos em situações de vulnerabilidade, para que elas possam ter uma renda extra e multiplicar o curso e também incluam os pães na alimentação na alimentação das crianças tanto em casa quanto na escola. "É um projeto muito importante e que vai ter um grande alcance aqui no Piauí”, avalia a assessora da Seduc.

A professora Maria Elaine ressaltou a importância do curso e disse que ficou muito impressionada com a dinâmica da aprendizagem em pouco espaço de tempo. “Fiquei muito esperançosa, desde que assisti ao vídeo institucional do projeto Padaria Artesanal, ao ver que muitas vidas, como por exemplo de moradores de rua em São Paulo, foram tocadas pelo projeto e já vislumbro que muitas vidas também serão tocadas no Piauí, em especial das mães cuidadoras de crianças com deficiência, que se dedicam exclusivamente aos filhos e que não podem trabalhar fora, mas que terão a oportunidade de aprender a fazer esses pães”, disse.

Fonte: JTNEWS com informações do Governo do Piauí

Comentários

Morar bem Piauí