Banco Central divulga o Relatório de Estabilidade Financeira no Brasil

O expressivo crescimento do mercado de capitais reflete a busca das empresas não financeiras por financiamentos menos onerosos e a demanda dos fundos de investimento por ativos mais rentáveis

​O Banco Central (BC) divulgou hoje o Relatório de Estabilidade Financeira (REF) referente ao primeiro semestre de 2019. O REF é uma publicação semestral destinada a apresentar o panorama da evolução recente e as perspectivas para a estabilidade financeira no Brasil.



Em um cenário econômico ainda pouco aquecido, com baixo índice de utilização da capacidade de produção da indústria e leve redução na taxa de desocupação, o financiamento doméstico às empresas não financeiras avançou em ritmo semelhante ao do semestre anterior, sustentado pelo avanço do mercado de capitais.

Foto: Marcello Casal Jr/Agência BrasilSede do Banco Central em Brasília
Sede do Banco Central em Brasília

O expressivo crescimento do mercado de capitais reflete a busca das empresas não financeiras por financiamentos menos onerosos e a demanda dos fundos de investimento por ativos mais rentáveis.

No sistema bancário, a expansão do crédito às Pequenas e Médias Empresas (PMEs) não foi suficiente para neutralizar a retração do crédito às empresas de grande porte. O risco de crédito das PMEs continua em declínio, enquanto o risco relacionado às empresas de grande porte persiste elevado. 

Impulsionado pelas modalidades voltadas ao consumo, o ritmo de crescimento do crédito às famílias mantém-se em elevação. Os ativos problemáticos apresentaram leve aumento, mas não representam preocupação por estarem próximos aos seus mínimos históricos.

A retomada gradual do crescimento da carteira de crédito, com maior participação do crédito às famílias e às PMEs, teve impacto positivo na rentabilidade do sistema bancário. Fatores importantes para o avanço da rentabilidade nos anos anteriores, como a redução das despesas de provisão e ganhos de eficiência operacional, tendem a perder força.

A solvência do sistema avançou em nível e em qualidade, aumentando ainda mais a capacidade dos bancos para suportar o ritmo de crescimento do crédito. Simulações continuam demonstrando que os bancos brasileiros possuem capacidade para enfrentar situações de estresse.

Por fim, pesquisa realizada com instituições financeiras demonstra que o mercado permanece confiante na robustez e na capacidade de o sistema financeiro absorver choques, porém mantém elevada a preocupação com os riscos relacionados ao cenário internacional e à aprovação das medidas necessárias para o equilíbrio fiscal.

Confira o relatório.

Fonte: Banco Central

Comentários