Giulieny Matos

Gosta do cotidiano. É especialista em segurança pública e educadora autônoma. Formada pela Unb, trabalha atualmente em prol da prevenção precoce da violência. Colaboradora da Magazine Internacional IPA Brazil. Possui 12 livros publicados.
Gosta do cotidiano. É especialista em segurança pública e educadora autônoma. Formada pela Unb, trabalha atualmente em prol da prevenção precoce da violência. Colaboradora da Magazine Internacional IPA Brazil. Possui 12 livros publicados.

Acima à barba! Abaixo à tinta de cabelo!

A pandemia incentiva mudanças radicais no visual de homens e mulheres! Confira!

Menos aparelhos de barbear nos banheiros masculinos

É bem verdade que a principal multinacional de aparelhos de barbear, bem antes da pandemia, apelou para a classe superior da moda parar de incentivar e propagar a moda do uso barba, parar de emplacar fotos nas revistas e desfiles com lindos rapazes de charmosas barbas robustas e imponentes, pois isso, e fato, afetou a queda das vendas de aparelhos de barbear na ordem de 3%, apenas 1,6 bilhão de dólares americanos (P&G/2019).

Foto: Guilherme MartinsAdvogado em Brasília, Guilherme Martins parece ter saído das séries de TV
Advogado em Brasília, Guilherme Martins parece ter saído das séries de TV

Muita espinha no rosto não combina com barbeador!

Lembro-me do sofrimento facial de um colega do segundo grau, com então 16 anos, já um tanto gigante, corpo de homem feito, rosto forrado de espinhas profundas... teria sido um alívio essa moda de homens barbados ter sido lançada pelo menos uns 33 anos atrás (risos)...

Mídia e beleza masculina

Séries medievais como Game of Trones, outras violentas como Sons of Anarchy, Mad Men, alguns protagonistas em séries multimidiáticas como The Walking Dead, Farbo e Crossbones, atiçaram a virilidade e a vaidade masculinas, além da liberdade, é óbvio, eles gostaram disso tudo!

Liberdade masculina, por que não?

 A população mundial masculina desenvolveu um gosto majestoso na utilização da barba como identidade e libertação dos tradicionais aparelhos de barbear. Economicamente percebeu-se uma aumento de 70% (Euromonitor 2012/2017) de barbearias masculinas de luxo em todo o Brasil. A arrecadação de R$ 19,8 bilhões comprovaram a aprovação do deleite masculino, mercado de tanto potencial quanto o feminino.

A beleza das barbas modernas

As novas formas estilizadas trouxeram à tona do mundo moderno a força do figurativo homem das cavernas renovado pelas benesses do século XXI. Com tanta inspiração e criatividade, até mesmo homens que não possuem sequer pelos suficientes, arriscam em exibir a parca juba com orgulho.

Menos tinta no cabelo, mais liberdade e mais dinheiro no bolso!

Um processo semelhante, durante a pandemia, oportuniza as mulheres a se libertarem da tinta de cabelo. Muitas enfrentaram o tabu muito antes da era COVID-19. Assumiram os brancos. Eu mesma fui uma delas. Sou grisalha há 3 anos.

De qual grupo de apoio você participa?

Movimentos de comunidades de apoio e incentivo no facebook, por exemplo, cujos nomes não poderiam ser menos óbvios: grisalhas assumidas, lindas e grisalhas, grisalhas em transição, assumidas e felizes, lindas gris, grisalhas charmosas, geraram apoio e incentivo para as candidatas gris. Até mesmo as mulheres mais temerosas sentem-se acolhidas com as faschionistas gris. Além da libertação do tempo gasto em salão, contabilizou-se diferença brusca no orçamento gasto com tintura e outros procedimentos de descoloração.

O amor masculino vai além do tipo e forma do cabelo da sua companheira

As grisalhas perceberam, mesmo antes da pandemia, que seus maridos não se importavam se elas usavam o cabelo roxo, loiro ou azul. Os homens não deixaram de gostar de suas companheiras por causa disso. O amor vai muito além de atributos exclusivistas. Ser grisalha não significa ser desleixada, conceito diferente entre homens e mulheres, estas, as mais exigentes consigo mesmas.

Foto: Arquivo PessoalFeliz e assumida com os novos cabelos, a Diretora do Sindescritores/DF, Gacy Simas, exile leveza e alegria
Feliz e assumida com os novos cabelos, a Diretora do Sindescritores/DF, Gacy Simas, exibe leveza e alegria

A onda gris na Europa engatinhando no Brasil

A onda gris na Europa desde muito tempo desfila em ruas, praças e shoppings. As mulheres de lá são nitidamente familiarizadas com seus cabelos grisalhos, e andam admitidas pelas ruas sem qualquer tipo de constrangimentos.

No Brasil, a pandemia tem forçado uma maior quantidade de mulheres de cabelos grisalhos a se mostrarem nas ruas, talvez não tão certas ainda se vão assumir de vez o novo conceito, ou se apenas durante a temporada. Mas elas, a olhos nus, tiveram a coragem de sair de casa e estão por aí caminhando e desfilando a textura natural aparentemente pacificada.

Inspiração que facina!

É o caso da querida Gacy Simas, escritora brasiliense, da Diretoria do SindEscritores/DF. Após tomar uma decisão pessoal de mudar, apesar que amava as diferentes cores de tintura, queria uma renovação interna e externa. Gacy passou uma temporada na praia, com raiz branca, depois no Canadá, debaixo de 20° negativos, entre toucas e gorros, o cabelo cresceu mais ainda. Em retorno ao Brasil, a pandemia favoreceu a tomada de decisão. Salões de portas fechadas, o processo de transformação para os cabelos gris findou-se. E nossa querida escritora amou do novo visual! Um luxo!

Aproveite a pandemia para testar como você fica com seu cabelo grisalho ou experimentar como fica barbado. Vai que goste! Você pode se surpreender com o resultado!

Abraços grisalhos e até a próxima!

Você também pode querer ler:

- Com tantas mortes pelo COVID-19, até a recepção no céu mudou... confira!

- Que estranha confusão de sentimentos e desejos causa essa pandemia!

- Sem máscaras, somos todos reféns do Sr. Corona. Vista a máscara do amor!

Ler outros textos de Giulieny Matos

Todo conteúdo, imagem e/ou opinião constantes neste espaço são de responsabilidade exclusiva do colunista. O material aqui divulgado não mantém qualquer relação com a opinião editorial do JTNEWS.

Comentários