Morre em Fortaleza (CE) aos 97 anos, Pe. Pedro Maione; ele foi 1º pároco do Cristo Rei e fundou o Museu Dom Avelar

Padre Pedro Biordan Maione era italiano nascido em Verona, filho de general do Exército; fez a opção pela Igreja Católica e seguidor fervoroso de Cristo com a opção pelos pobres no Brasil

Aos 97 anos de vida, e destes, 77 anos dedicados à vida religiosa na Companhia de Jessus, Padre Pedro Biordan Maione se despede dos mortais neste Plano para continuar sua missão de santidade agora na Eternidade. Pe. Pedro veio a óbito às 22h20min dessa quinta-feira (30/11), na Casa da Companhia de Jesus onde morava em Fortaleza no Ceará.

Foto: Jacinto Teles/JTNewsPe. Pedro fala emocionado na inauguração do Museu D. Avelar Brandão Vilela
Pe. Pedro Maione: uma vida dedicada ao sarcerdócio

Padre Pedro morou em Teresina por dezenas de anos, na Capital do Piauí foi fundador e o 1º páraco da Igreja do Cristo Rei, designado por Dom Avelar Brandão Vilela para a missão, a quem devotava grande amizade e respeito.

O Padre Pedro Biordan Maione, ordenou-se em 1945, depois de enfrentar a oposição do pai, que desejava que o filho mais velho seguisse a tradição dos negócios familiares; seu pai foi general do Exército na Itália.  Em Teresina ele dedicava-se não somente às ações religiosas do Cristo Rei, mas à Fundação Cultural do mesmo nome e que conseguiu edificar o extraordinário Museu Dom Avelar Brandão Vilela, que tem um acervo inigualável no Brasil, dentre as peças históricas ele fazia questão de citar que ali tem moedas que remontam há 2 mil anos Antes de Cristo. 

Foto: Mércia/JTNEWSMuseu Dom Avelar inauguração com a presença de Padre Pedro Maione
Museu Dom Avelar Brandão Vilela: inauguração com a presença de Padre Pedro Maione seu principal idealizador

Pe. Pedro desenvolveu atividades no Centro Inaciano de Espiritualidade Mãe da Divina Graça (CIES), no Colégio Diocesano e, uma vez por semana, na Paróquia Cristo Rei e enquanto continuou em Teresina uma vez por semana desenvolvia atividades na Paróquia do Cristo Rei.

Filho de família tradicional da Itália fez opção de seguir a Cristo

Pedro Maione nasceu em Verona, na Itália, no dia 11 de março de 1926. Seu pai, oficial do Exército [foi general italiano] quando foi transferido para a cidade de Gorizia, em 1939. Foi nessa época que Pedro, aos 13 anos, com anseios de seguir a vida religiosa, conheceu os jesuítas. Enquanto, Pedro cursava Direito e estreitava sua relação com a Companhia de Jesus, seu pai comandava o exército do sul da Itália, na cidade de Nápoles.

Foto: Jacinto Teles/JTNewsMuseu Dom Avelar Brandão Vilela
Museu Dom Avelar Brandão Vilela: um sonho realizado por Pe. Pedro Maione

No entanto, ao anunciar que iria ingressar na vida religiosa, aos 19 anos, o pai exigiu que retornasse a casa para ficar à frente dos negócios da família. Pedro voltou, mas ficou doente. O pai, assustado com o estado de saúde do filho, concedeu finalmente a permissão para ser padre [sua mãe teve destacada influência na nova decisão de seu pai; isso foi dito diretamente a este editor por padre Pedro]. Assim, em 7 de junho daquele ano, Pedro ingressou na vida religiosa.

Foram dois anos de noviciado e três anos de filosofia. Depois, seguiu para a Ilha de Malta, no sul do país, por um ano. Após esse período, em 1952, foi enviado para o Japão, onde passou dois anos aprendendo o idioma, para ensinar inglês, sua segunda língua. Concluída essa etapa, voou para Irlanda, para cursar Teologia. Já ordenado, voltou à Itália e residiu em Veneza, onde fez doutorado em Línguas e Literaturas Europeias.

No conturbado ano de 1964 Pe. Pedro chegou a Teresina

Esse período foi marcado como o ápice do Regime Militar no Brasil. Padre Pedro chegou a Teresina em 6 de março de 1964. Começou dando aulas de Filosofia, História Geral para o científico – como era chamado o ensino médio – no Colégio Diocesano. Quatro anos depois, dom Avelar, arcebispo da época, criou a Paróquia de Cristo Rei e o nomeou primeiro pároco. De 1974 a 2001, se deslocou entre muitos estados: Maranhão, Pará, Espírito Santo e Bahia. Nesse período, retornou a Teresina e permaneceu na Paróquia de Cristo Rei, entre 1977 e 1985. Viajou novamente em 1985 e conseguiu voltar para o Piauí somente em 2001 para se dedicar ao CIES, fundado em 16 de agosto daquele ano.

Foto: Jacinto Teles/JT NewsMuseu Dom Avelar Brandão Vilela
Museu Dom Avelar Brandão Vilela

Na Albânia, Pe. Pedro Maione esteve por designação do Papa João Paulo II, a pedido de Madre Tereza de Calcutá, lá ele desenvolveu atividade importante, sobretudo por falar fluetemente o inglês [sobre essa passagem em sua vida e outras este editor o entrevistou, cuja veiculação inédita vai ser publicada pelo GP1]. Na Albânia, os jesuítas viveram em situação de pobreza absoluta, sem energia elétrica, camas, cobertores adequados para o frio extremo de -15 °C. Os religiosos eram perseguidos e torturados pelo regime político da época.

Foto: Jacinto Teles/JT NewsMuseu Dom Avelar Brandão Vilela
Museu Dom Avelar Brandão Vilela: moedas antiquíssimas

A fidelidade e devoção do povo à Igreja impressionou o sacerdote, quando celebrou uma missa numa cidade do interior do país. “Se tivesse que morrer e nascer novamente, mil vezes faria a mesma coisa. Estou plenamente satisfeito, nunca voltaria atrás. Se voltasse atrás seria para fazer melhor”, diz ao relembrar fatos que marcaram a sua vida.

Em Teresina Padre Pedro viveu por quase 60 anos ininterruptamente

Em Teresina viveu de 1964 até 2019 quando cuprindo ordem da Companhia de Jesus passou a morar em Fortaleza no Ceará. O Padre Pedro falava do Piauí, e principalmente de Teresina com muito carinho, e certa vez, antes de se mudar para Fortaleza disse assim para mim: "digo com sinceridade, para mim é minha 'segunda pátria' de nascimento [se refererindo ao Piauí], em particular Teresina, estive em várias cidades do Brasil, sempre em todo lugar me dei muito bem... muito bem... como aqui não teve igual... [quando lhe indaguei sobre Teresina].

Fundação Cultural Cristo Rei e a inauguração do Museu 

Na noite de 05 de agosto de 2019, a Fundação Cultural Cristo Rei foi reinaugurada com uma especial novidade, qual seja, a instalação do seu Museu Dom Avelar Brandão Vilela, um sonho vivo do Pe. Pedro Maione (S.J.)

Foto: Jacinto Teles/JT NewsMuseu Dom Avelar Brandão Vilela
Museu Dom Avelar Brandão Vilela: acervo muito rico 

A Fundação Cultural Cristo Rei (FCCR), foi criada por Pe. Pedro Biondan Maione desde 1971 e Ligya de Sousa Martins, ele, o primeiro pároco da Igreja do Cristo Rei em Teresina, e ela a primeira coordenadora dessa importante Fundação.

A partir desse momento histórico houve o  fortalecimento das ações culturais, literárias, teatrais, dentre várias outras, inclusive o incentivo a idiomas neolatinos.

Foto: Jacinto Teles/JT NewsMuseu Dom Avelar Brandão Vilela
Museu Dom Avelar Brandão Vilela: precisa ser melhor divulgado para que muitos possam apreciar todo o acervo

A Fundação Cultural Cristo Rei, foi amplamente reformada com a instalação do Museu Dom Avelar Brandão Vilela, por meio de ajuda do Instituto do Patrimônio Público e Cultural (IPHAN), que, destinou recursos oriundos de um ajuste de conduta da Empresa Queiroz Galvão, a qual havia impactado negativamente o Meio Ambiente no Município de Caldeirão Grande-PI, cuja ação foi oriunda da Justiça do Trabalho.

O IPHAN participou de toda a sua reestruturação, bem como fez a adequação legal do Museu da Fundação como um órgão especializado de guarda de materiais, artes, históricos e arqueológicos de extraordinário valor histórico e cultural.

Foto: Jacinto Teles/JT NewsMuseu Dom Avelar Brandão Vilela
Museu Dom Avelar Brandão Vilela fica no Cristo Rei em Teresina - Piauí

O Museu que tem um acervo invejável, nele existem mais de 14 mil moedas das mais diversas representações mundiais, mineralogia, fósseis, arqueologia, biblioteca, área de exposição para os vertígios retirados dos sítios arqueológicos de Cadeirão Grande no Piauí. E muito mais...

Fonte: JTNEWS com informações do https://jesuitasbrasil.org.br/

Comentários

Morar bem Piauí