Paulo Sérgio Vieira da Silva: assassinado covardemente por lutar por DIGNIDADE e JUSTIÇA

"Como pode meu irmão querido ser morto por lutar por dignidade e Justiça? Ele não tinha inimigo; foi um cidadão decente, honesto e exemplar como ser humano e pai de família," argumentou Dorinha Vieira

O (s) assassino (s) e possível mandante do líder comunitário, Paulo Sérgio Vieira da Silva, 48 anos, continuam impunes, pois até o momento a Polícia Civil [a quem compete a investigação do fato delituoso] continua sem pistas do paradeiro do criminoso ou criminosos. Mas, a Polícia Civil, por meio do delegado Bareta, da Homicídios vai desvendar mais esse crime cruel e covarde, é o que a sociedade almeja.

Foto: Arquivo familiarPaulo Vieira: quem o matou?
Paulo Vieira: quem o matou?

Paulo Vieira, foi morto a tiros na noite do último sábado (28) na Avenida Celso Pinheiro, região do bairro Cristo Rei, zona sul de Teresina, de forma vil e cruel, após comemoração de aniversário de um ano do  loteamento "Terra Prometida" no bairro Cristo Rei Zona Sul de Teresina, onde ele exercia a liderança daquela comunidade.

A família e as comunidades nas quais o líder comunitário convivia, estão revoltadas e clamando por Justiça, e não entendem como aconteceu tamanha barbaridade com um ser humano que apenas e tão somente lutava por Justiça; e é justamente por que clamam agora: JUSTIÇA!

O JTNEWS conversou nessa segunda-feira, com sua irmã Dorinha Vieira, que é fonoaudióloga, foi candidata a vereadora de Teresina, diretora administrativa da Maternidade Dona Evangelina Rosa, liderança comunitária e sindical, tendo inclusive sido presidente da Associação dos Moradores da Vila da Paz, ela que ainda está transtornada com a morte prematura e covarde do seu irmão Paulo Sérgio Vieira, acerca do fato lastimável, conseguiu dizer o seguinte:

"Como pode o meu irmão querido ser morto por lutar por dignidade e Justiça? Ele não tinha inimigos, sempre foi um cidadão decente, honesto e exemplar como ser humano e pai de família."  Concluiu de forma muito emocionada dizendo: "O que espero é que seja feita Justiça com urgência! É o mínimo que a família quer e tem direito nesse momento", declarou emocionada, Dorinha Vieria.

Foto: Arquivo familiarPaulo Vieira recebendo doação de cestas básicas do Obstetra Ricardo Henrique, para a comunidade
Paulo Vieira agradecendo ao médico obstetra, Ricardo Henrique - que fez doação de cestas básicas à comunidade

Antes do crime, a vítima se encontrava em uma confraternização no Residencial Terra Prometida, do qual era presidente da Associação de Moradores e foi um dos principais responsáveis pela organização do loteamento. A confraternização foi justamente pelo aniversário de um ano da ocupação da "terra prometida", com bolo de aniversário e plena comemoração, para cuja festa ele mesmo havia feito o convite e chamamento da comunidade [como se observa no áudio aqui disponibilizado].

Paulo Sérgio Vieira era muito querido na comunidade, e sobretudo no seu meio familiar, pois sempre foi bom filho, irmão, pai e esposo. "Dedicava-se dia e noite à causa da cidadania por moradia de qualidade para seus parceiros e liderados, sempre pregando a paz em nome de Cristo; pois, jamais se teve notícia de, sequer um histórico de violência por ele praticado," declarou sua irmã Dorinha que conviveu intensamente com Paulo Vieira.

Confira vídeo gravado durante o encontro no Residencial em que comemorou-se o aniversário de lutas e vitórias com um bolo especial entre todos da comunidade que puderam comparecer, momentos antes de seu brutal assassinato.



De acordo com informações do Departamento de Homicídios em Proteção à Pessoa (DHPP), a vítima pilotava uma motocicleta quando foi surpreendida por elemento (s) que estava (m) em um veículo e efetuaram pelo menos cinco disparos na cabeça de Paulo Sérgio, o que deixa forte indício de que tenha sido uma execução, possivelmente por pistoleiro profissional.

O líder comunitário não resistiu aos ferimentos e morreu no local. O corpo foi recolhido momentos depois pelo Instituto de Medicina Legal. Paulo Sérgio, que tinha um compromisso com a comunidade que ficou marcado através da luta por moradia digna para todos, foi morto covardemente enquanto seguia seus ideais por dignidade e Justiça.

Segundo informações colhidas pelo JTNEWS, o loteamento passou por momentos difíceis, quando o terreno foi reclamado na Justiça por um suposto proprietário, mas, Paulo Sérgio provou perante à Justiça que eram terras devolutas [terras públicas sem destinação pelo Poder Público e que em nenhum momento integraram o patrimônio de qualquer particular], inclusive foi o Ministério Público do Piauí que opinou pelo arquivamento do processo, no que, segundo informações de membros daquela comunidade a Justiça atendeu e determinou o arquivamento requerido pelo MP do Piauí.

Após conseguir a instalação de energia elétrica e distribuição de água, o líder comunitário, que foi covardemente assassinado, tudo indica a mando de alguém contrariado com sua atuação, lutava pela urbanização da comunidade. 

Nas redes sociais, moradores da região lamentaram o homicídio e levantaram suspeitas de execução. O deputado estadual Franzé Silva (PT) utilizou as redes sociais para lamentar o ocorrido e cobrar maior celeridade na apuração dos fatos.

Assim como a morte da guerreira Marielle Franco no Rio de Janeiro, a morte do líder comunitário Paulo Sérgio Vieira necessita urgente de uma resposta para a sociedade, principalmente com a identificação e a prisão de todos os eventuais culpados. 

#Justiça! #Quemmatoupaulovieira #Quemmandoumatarpaulovieira

Fonte: JTNews

Comentários