Deputado federal, Merlong Solano critica Bolsonaro por reduzir valor do auxílio emergencial

Classifica a medida como antidemocrática, considerando que a atitude reduzirá drasticamente o consumo dos mais pobres

A bancada do Partido dos Trabalhadores (PT) no Congresso Nacional vai lutar para manter o auxílio emergencial no valor de R$ 600, sem o corte anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro. A informação foi divulgada pelo deputado federal Merlong Solano (PT-PI).

Foto: Sérgio Lima/Poder 360O presidente Jair Bolsonaro e o ministro Paulo Guedes (Economia) ao anunciar a prorrogação do auxílio emergencial
O presidente Jair Bolsonaro e o ministro Paulo Guedes (Economia) ao anunciar a prorrogação do auxílio emergencial com redução das parcelas pela metade do valor

A medida provisória que abre crédito extraordinário em favor do Ministério da Cidadania no valor de R$ 67,6 bilhões, destinado ao pagamento das 4 parcelas extras do auxílio emergencial, foi publicada nessa quinta-feira (3), no Diário Oficial da União.

O presidente Jair Bolsonaro anunciou na terça-feira (1) que o auxílio emergencial seria prorrogado até dezembro, com redução nas parcelas (de R$ 600 para R$ 300). "O valor de R$ 600, como vínhamos dizendo, é muito pra quem paga, no caso o Brasil. E, podemos dizer que não é um valor suficiente para todas as necessidades, mas basicamente, atende", justificou Bolsonaro.

Foto: Arquivo Pessoal/Merlong SolanoDeputado Federal, Merlong Solano
Deputado Federal, Merlong Solano

O JTNEWS ouviu o deputado Merlong Solano, que critica o presidente e classifica a redução do valor como antidemocrática, pois a medida foi anunciada "no exato momento em que os preços dos alimentos sobem acima da inflação".

O deputado afirma que, com a medida, o presidente "manifesta o seu caráter antipopular e a incapacidade de compreender que uma crise econômica como esta que estamos enfrentando exige medidas novas". Confira a fala do deputado:



"Fazer justiça social é uma forma efetiva de enfrentar a crise econômica. Dinheiro no bolso das pessoas mais pobres vira consumo da família, o que ajuda a dinamizar o comércio, a indústria, a agroindústria, a agropecuária. Enfim, ajuda a reduzir os efeitos desta grave crise econômica pela qual passamos", afirma o deputado.

O deputado finalizou a fala afirmando que a bancada do PT no Congresso Nacional deve lutar para manter o auxílio emergencial no valor de R$ 600.

Fonte: JTNEWS

Comentários