Celular Seguro: entenda como funciona o app lançado pelo governo federal para enfrentar roubos e furtos

Promessa é de que aplicativo esteja disponível nesta quarta-feira (20/12) para download nas lojas Google Play Store, para sistema o Android, e Apple App Store, para iOS.

O governo federal lançou na última terça-feira (19/12) o aplicativo Celular Seguro, desenvolvido para enfrentar os crimes de roubo e furto de celulares no país. Segundo dados do Ministério da Justiça e Segurança Pública, quase um milhão de telefones são roubados ou furtados por ano no Brasil. O app funciona como um sistema de bloqueio remoto que será acionado por pessoas de confiança do usuário, caso este tenha o aparelho subtraído.

Foto: ReproduçãoConvocados os proprietários que tiveram seus celulares roubados em Teresina
Aplicativo Celular Seguro, do governo federal, vai bloquear celulares roubados após comunicação do crime pelo app.

A ferramenta efetua o bloqueio do celular e do acesso a aplicativos de bancos e serviços como compras, transporte e alimentação, em poucos minutos após a ocorrência do delito. A plataforma foi desenhada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), em parceria com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

"O celular é o maior patrimônio que as pessoas carregam consigo no dia a dia. Tudo está portado no aparelho: acesso a bancos, dados pessoais. É um dos crimes que mais aflige a população", definiu o secretário-executivo da pasta, Ricardo Capelli, que conduziu a divulgação durante coletiva de imprensa realizada em Brasília.

Conforme Capelli, o projeto Celular Seguro pretende reduzir a atratividade do delito e desestimular a receptação de aparelhos roubados, que acaba incentivando a prática criminosa.

"O objetivo é transformar o aparelho roubado em um pedaço de metal inútil. No momento em que o aparelho é bloqueado nas redes, na linha, no acesso bancário e nos aplicativos, e de forma rápida, reduz muito a atratividade do delito e reduzirá muito também os roubos e furtos", analisou secretário-executivo do ministério.

Subnotificação

De acordo com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, no ano passado, foram registrados 999.223 roubos e furtos de celulares no país. As informações constam no 17º Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Contudo, segundo Ricardo Capelli, existem indicativos de que há subnotificação, em decorrência da extensa sequência de procedimentos que os usuários têm que realizar para efetuar o bloqueio da linha e do aparelho.

"A pessoa precisava ligar para a operadora, registrar boletim de ocorrência, acionar a Anatel, avisar os bancos para fazer o bloqueio de aplicativos. Agora, o cidadão reporta sua denúncia diretamente à Anatel e os bloqueios ocorrem em sequência", apontou o secretário-executivo.

Para o secretário Nacional de Segurança Pública, Tadeu Alencar, o desenvolvimento do aplicativo era um "imperativo de ordem pública", pois, entre os crimes patrimoniais, o roubo e o furto de celulares tornaram-se uma "grande angústia para o povo brasileiro".

"É uma ferramenta simples que vai enfrentar o problema e diminuir a capacidade de receptação de aparelhos, as fraudes com dados pessoais das vítimas e o uso indevido de aplicações contidas nos telefones", pontuou.

Na cerimônia de lançamento, foram assinados memorandos com Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Bradesco, Santander, Itaú, Banco Inter, Sicoob, XP Investimentos, Banco Safra, Banco Pan, BTG Pactual e Sicredi. Também foram firmados protocolos de intenções com empresas como Google, Uber, 99 Tecnologia, Zetta, Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee). Firmaram adesão ao aplicativo a Conexis Brasil Digital e as empresas Claro, Vivo e TIM.

Passo a Passo para utilizar o app

Até esta terça-feira (19/12), o aplicativo Celular Seguro somente podia ser acessado por meio do site celularseguro.mj.gov.br. Há promessa de que, a partir desta quarta (20/12), o app estará disponível para download nas lojas Google Play Store, para sistema Android, e Apple App Store, para iOS.

1º Passo

Abra o navegador de internet do celular e insira na barra de endereços "celularseguro.mj.gov.br". Ao ingressar na tela inicial do aplicativo Celular Seguro, clique em "Entrar com gov.br".

2º Passo

É imprescindível ter cadastro ativo na plataforma "gov.br". Digite o CPF no campo aberto para preenchimento e clique em "Continuar". Aplique a senha e clique em "Entrar". Você estará com a plataforma gov.br ativa no dispositivo e chegará ao sistema Celular Seguro.

3º Passo

Haverá três campos: o primeiro, da esquerda, é "Pessoas de Confiança", no qual será possível cadastrar as pessoas que irão solicitar o bloqueio em seu nome caso ocorra um assalto. Ao clicar em "Cadastrar contato", será necessário indicar nome, CPF, telefone e e-mail do contato. Para efetivar, basta clicar em "Cadastrar".

4º Passo

O campo central, denominado "Registrar Telefone", é fundamental, pois aponta os dados do seu aparelho. Clique em "Cadastrar Telefone" e um formulário abrirá para anotação de dados como marca, modelo, número da linha e operadora, entre outros dados opcionais. Para finalizar, é só clicar em "Cadastrar".

5º Passo

O terceiro campo, localizado à direita da tela, abre o protocolo "Registrar Ocorrência". Ao ingressar nele, haverá o direcionamento para "Meus Telefones" e "Telefones de Confiança", pelos quais será possível registrar a ocorrência de crime e denunciar o delito sofrido pela pessoa de confiança.

Fonte: JTNEWS com informações do GZH

Comentários

Morar bem Piauí