Amanda de Deus

Cristã, casadíssima, apaixonada por seus três cachorros (Sher, Duster e Davi), motociclista, praticante de Muay Thai, curte pedalar, ama viajar, advogada, graduanda em Psicologia, ama ouvir as pessoas, amante da natureza.
Cristã, casadíssima, apaixonada por seus três cachorros (Sher, Duster e Davi), motociclista, praticante de Muay Thai, curte pedalar, ama viajar, advogada, graduanda em Psicologia, ama ouvir as pessoas, amante da natureza.

Suicídio: prevenção, diagnóstico e tratamento

Audiência pública para debater a prevenção, diagnóstico e tratamento da depressão no âmbito da rede pública de saúde do Estado de Mato Grosso

A audiência pública aconteceu em Cuiabá dia 10 de setembro no  Auditório Deputado Milton Figueiredo da Assembleia Legislativa do Estado do Mato Grosso, com a finalidade de debater sobre a ampliação de políticas públicas para prevenção, diagnóstico e tratamento da depressão no âmbito da rede pública de saúde do Estado de Mato Grosso.

Participaram da mesa além do organizador do evento deputado Dr. Gimenez, Sra.Eunice Teodoro, representante da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), Dr.Carlos Periotto, presidente da Associação Mato-grossense de Psiquiatria, empresário Hiran Melo perdeu a irmã por suicídio em janeiro de 2018, Carlos Eduardo Laterzza Oliveira, representante do Centro de Valorização da Vida (CVV), psicólogo Douglas Amorim, coach financeira Renata Melo, escritor Alan Barros autor do livro  “Tenho depressão e agora?” e assessora técnica e pesquisadora do Centro de Referência Técnica em Psicologia e Políticas Públicas (CREPOP), Erika de Oliveira.

Foto: Ronaldo MazzaMesa - Audiência Pública Assembleia Legislativa Mato Grosso
Mesa - Audiência Pública Assembleia Legislativa Mato Grosso

Dr. Carlos Periotto médico psiquiatra e presidente da associação mato-grossense de Psquiatria, afirmou que 90% das pessoas que cometeram suicídio tinham algum transtorno mental (depressão, transtorno bipolar, transtorno afetivo bipolar, esquizofrenia, transtorno de personalidade, dentre outros). O objeto de estudo da Psiquiatria é o aparelho psíquico, para esse aparelho não existe exames para saber o que o outro esta pensando, os médicos psiquiatras analisam a fala bem como o comportamento para diagnóstico de  um possível transtorno. Ninguém vê a depressão, há diferenças entre tristeza e depressão, a tristeza é breve, se refere a um evento claro, já a depressão se prolonga no tempo,  e não tem uma relação com o ambiente.

As sugestões apresentadas pelo médico psiquiatra foram: tratar não só o paciente mas toda sua família, distribuir em locais públicos panfletos com fluxogramas que expliquem as pessoas que necessitam de ajuda quais  os lugares que elas devem procurar para auxilio de médicos e psicólogos, Dr Carlos diz que a saúde pública de Mato Grosso não esta preparada para internar pacientes com riscos iminente de suicídio, não existem leitos para essa finalidade.

Foto: Amanda de Deus / JT NEWSDr. Carlos Periotto médico psiquiatra e presidente da associação mato-grossense de Psquiatria
Dr. Carlos Periotto médico psiquiatra e presidente da associação mato-grossense de Psquiatria

 O psicólogo Douglas Amorim começou sua fala afirmando que todas as pessoas em algum momento já pensaram que poderiam morrer, frisou que é de extrema importância quebrarmos esse tabu, as pessoas pensam em morte mas não falam porque se sentem sozinhas, e com isso acabam se tornando reféns dos próprios pensamentos, é necessário falarmos de morte, portanto. Muitas coisas que pensamos são fantasias, precisamos aprender a conversar com nossos pensamentos, questionar o que estamos pensando. Pensar em morte é diferente de pensar em suicídio, a pessoa pode pensar em morte por exemplo quando contrata um seguro de vida para amparar um ente querido, já o suicídio é pensar em algum meio para tirar a própria vida.

Foto: Ronaldo MazzaPsicólogo Douglas Amorim - Audiência Pública Assembleia Legislativa Mato Grosso
Psicólogo Douglas Amorim - Audiência Pública Assembleia Legislativa Mato Grosso




O evento contou com a participação escritor Alan Barros autor do livro  “Tenho depressão e agora?” organizador do evento que ocorrerá na terça dia 17 do corrente mês, na Assembleia Legislativa, no teatro Zulmirra Canavarros. O  empresário Hiran Melo que perdeu sua irmã por suicídio em janeiro de 2018 dividiu sua experiência com os presentes, e discorreu sobre a posvenção ao suicídio, ou seja  tudo o que se relaciona aos cuidados necessários com enlutados por alguém que tirou a própria vida. Para questão da posvenção publicarei um texto pormenorizado na próxima semana, contando inclusive a experiência do empresário.

Nunca é demais repetir: quem tenta se matar ou se mata quer acabar com a dor e não com a vida! Qual a função do sofrimento? No próximo texto falarei sobre isso.

Todo conteúdo, imagem e/ou opinião constantes neste espaço são de responsabilidade exclusiva do(a) colunista. O material aqui divulgado não mantém qualquer relação com a opinião editorial do JTNEWS.

Comentários