Jamil Leite

Especialista em fisiologia e prescrição do exercício clínico, Bacharel e Licenciado em Educação Física, Personal trainer e Professor de ginástica laboral
Especialista em fisiologia e prescrição do exercício clínico, Bacharel e Licenciado em Educação Física, Personal trainer e Professor de ginástica laboral

Full service, low cost, low price: em qual academia você treina?

Nos dias atuais, há um grande aumento de diversificação dos tipos de academia, você sabe diferenciar?

Mais um treino de musculação sendo feito e no decorrer deste veio um “plim” para o próximo texto. SIM! A musculação é o momento onde mais reflito sobre a vida e também penso a respeito dos meus projetos profissionais.

Rapidamente, abri meu aplicativo de mensagens instantâneas e iniciei conversa com um amigo, regional manager do Gympass (plataforma que conecta praticantes ou não de atividade física a uma rede de academias pagando apenas uma mensalidade).

Foto: Google ImagensFull service, low cost, low price - Qual a diferença nessas modalidades de academia?
Full service, low cost, low price - Qual a diferença nessas modalidades de academia?

- Oi, Thyago. Tudo bem, amigo? Estou escrevendo para um portal e tive a idéia de escrever sobre os novos modelos de academia (academias fit). Gostaria de saber quando a Smart Fit foi criada.

- Grande Jamil, tudo bem por aí? Claro, eu ainda estava trabalhando na Bioritmo nessa época. A Smart fit foi criada em 2009.

- Tudo tranquilo meu amigo... E por aí?

- Bem também! De volta a São Paulo depois de uma excelente temporada no México.

Após uma pequena pausa voltamos ao assunto inicial.

- E qual o termo mais apropriado para se usar nas academias atualmente?

- Full service. Esse é o termo que usa para academias como Companhia Atlética, Body Tech, Bio Ritmo. Para academias com as características da Smart, chamamos de Low Cost.

Dei uma pausa no exercício de ombros, e pensei em como esse novo modelo de academia se torna a cada dia mais democrático, por permitir o acesso da classe assalariada à esse tipo de serviço.

- Você considera que após esse modelo de academia ter sido instalado, houve uma maior democracia nos espaços?

- Eu vejo que ficou mais democrática na questão do acesso financeiro. Antes não tinham tantas opções de boas academias com preço acessível. Hoje uma diarista pode treinar numa Smart Fit, que pode ser a mesma academia de seu empregador.

- Quais as principais diferenças entre uma academia full service e low cost?

- Posso elencar algumas, mas basicamente, as academias consideradas full service são aquelas com um grande número de funcionários, instaladas em estruturas enormes, com uma grande variedade de aulas e eventos periódicos, entre outros tópicos. Já as academias low cost, sinto que muitos donos de academia não entendem este conceito – confundem com o termo low price. Uma academia de custo baixo para o cliente, mas principalmente para o próprio negócio, onde a operação é enxuta, com número reduzido de funcionários, terceirização de vários serviços, instalações econômicas, entre outros, pode ser considerada low cost.

- Ok, entendi. E como seria a low price?

- Basicamente, preço baixo. Um dono de academia considerada full service pode oferecer este modelo de negócio a preços baixos, o que a colocaria na categoria low price. O que vai fazer com que estes dois termos se fundam num só conceito, será o modelo de gestão adequado para manter seu próprio negócio sadio e lucrativo.

Após o termino do treino, finalizamos a conversa com mais algumas perguntas a respeito, e combinamos um café em minha próxima ida à São Paulo, onde estes três conceitos de academia (e mais alguns) convivem e disputam os clientes de forma sadia e contemporânea.

- Obrigado, Thyago! Bom fim de semana.

- Abração. Bom fim de semana! Está calor aí?

- Sempre!

Comentários