Presos da Cadeia Pública de Altos-PI podem estar com "Traços de Escorbuto e Beriberi"

Em fevereiro de 2020, detentos de presídio da região metropolitana de Fortaleza-CE apresentaram os mesmos sintomas; de 2600 internos da CEPIS, cerca de 400 foram acometidos da doença; 6 vieram a óbito

Esse fato lamentável ocorreu em tempos não muito remotos, aliás estar bastante recente, pois, foi exatamente em fevereiro deste ano de 2020 que o problema se tornou visível no presídio da CEPIS (Centro de Execução Penal e Integração Social), localizado no Município de Itaitinga, região metropolitana de Fortaleza no Ceará.

Foto: Jacinto Teles/JT NewsCPA15
Área interior da Cadeia Pública de Altos-PI (CPA) registrada pelo JTNEWS no dia da inauguração

O JTNEWS procurou e conseguiu falar na manhã desta sexta-feira (8/5), com três servidores da Secretaria de Administração Penitenciária do Estado do Ceará (SEAP-CE), que pediram para não serem identificados, pois essa situação não foi amplamente divulgada naquele Estado, como realmente deveria.

No Ceará, o presídio onde a doença infecciosa foi registrada, ceifou a vida de no mínimo 06 detentos, conforme os servidores que mantiveram contato com o JTNEWS, mas o fato é que  lá mais de 400 presos de um total de 2600 [em um único estabelecimento penal] foram acometidos de doença [que mais tarde teria recebido o diagnóstico de ser 'Traços de Escorbuto e Beriberi'].

Ressalte-se que o JTNEWS não teve acesso a documentos comprobatórios, porém, aparentemente, pelas informações até agora divulgadas, tem, provavelmente, os mesmos sintomas dos 48 detentos da Cadeia Pública de Altos (CPA), região metropolitana de Teresina capital do Piauí, onde tem hoje (8/5) 743 presos [140 a mais da capcidade para a qual foi projetada], sendo um percentual bastante elevado de doentes.

Foto: Tribuna CearáLuis Mauro Albuquerque
Luis Mauro Albuquerque - tronou-se referência pela sua rígida atuação operacional na área disciplinar

Mauro Albuquerque, que é o secretário de Administração Penitenciária do Ceará, foi ouvido hoje (8/5) pelo JTNEWS e informou que a Secretaria de Saúde do Estado do Ceará ainda não comunicou o resultado dos exames que possa identificar a causa da doença de que foram acometidos os detentos do Estabelecimento Penal denominado de Cepis de Itaitinga.

Entretanto, afirmou que não houve ligação dos óbitos registrados com a possível doença, mas, também não informou qual a causa dos óbitos dos presos.

O JTNEWS encaminhou e-mail ao secretário Nacional de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Adeilson Loureiro Cavalcante [Email: [email protected]] solicitando, com base na Lei de Informação, acesso ao Relatório de Inspeção acerca da "doença misteriosa" que foi registrada junto aos presos da Cepis de Itaitinga no Ceará.

O fato relacionado ao Piauí, foi divulgado publicamente pelo próprio secretário de Estado da Justiça, Carlos Edilson na redes sociais durante o dia de ontem (7/5), cuja informação diz que 48 presos estão acometidos de infecção que já estar sendo investigada pela Secretaria de Estado da Saúde do Piauí.

Secretário da Justiça do Piauí fala sobre caso ainda misterioso na CPA em Altos

Procurado pelo JTNEWS, o secretário Carlos Edilson, informou que já existe uma equipe de sáude integrada por profissionais tanto da Secretaria da Justiça (SEJUS) como da Secretaria de Saúde (SESAPI) trabalhando para identificar tecnicamente o real motivo e causa da doença infecciosa que os presos da CPA foram acometidos. "Tão logo os profissionais de saúde tenhom o diagnóstico da situação levarei ao conhecimento das autoridades competentes, bem como da sociedade," declarou o gestor estadual do Sistema Prisional do Piauí.

Foto: JTNewsSecretário de Justiça
Secretário da Justiça do Piauí, Carlos Edilson Rodrigues que aguarda 'resultados médicos' da Saúde

Conforme relataram os servidores da SEAP-CE ao JTNEWS, os sintomas que os presos cearenses apresentavam era os seguintes: "dificuldade de respirar, inchaço nas pernas, anemia (palidez) e também ferimentos nas gengivas e clara deficiência nutricional, com bastante fraqueza."

Os três servidores ouvidos foram unânimes em arriscar e sugerir: "internem os presos em estado avançado da doença, mas com relação aos demais deem vitamina "C" e outras mais, alimentação adequada, e aos que estão ainda bem de saúde coloquem pra fazer atividades físicas, não somente banho de sol, porque aqui no Ceará, tão logo descobrimos que o problema era esse, assim foi feito e todos os mais de 390 presos ficaram bons de saúde", o JTNEWS reitera essas informações foram de servidores do Sistema Prisional do Ceará, Policiais Penais, ou seja, não foi nenhum  médico ou outro profissional de saúde que deram essas informações, não.

Informaram ainda as nossas fontes, que lá (no Sistema Prisional do Ceará) o Ministério da Saúde fez uma inspeção rigorosa no Presídio, e que ainda não se tem conhecimento público do resultado.

Com o objetivo de contribuir para a elucidação do fato lamentável que chegou ao nosso Sistema Prisional. o JTNEWS enviou e-mail ao Gabinete do Ministro da Saúde e à Secretria de Vigilância Sanitária solicitando acesso às informações relacionadas ao evento ocorrido no Estado do Ceará, pois sabendo-se o verdadeiro resultado de lá (CE), indiscutivelmente poderá trazer luz ao caso registrado no Piauí.

O caso real no Ceará começou em dezembro de 2019 e explodiu em fevereiro; 20 % apresentaram sintomas e aproximadamente 50 presos foram internados em UPAS, na Santa Casa de Misericórdia (Centro de Fortaleza), e no Hospital São José que fica localizado no Parque Araxá em Fortaleza, informaram os policiais penais cearenses.

O JTNEWS no seu objetivo de bem informar, esatá de prontidão para acompanhar o desfecho da situação.

Fonte: JTNEWS

Comentários