Autoridades repercutem morte prematura de Bebianno; Mourão manifesta pesar à família enlutada

Bebianno foi o primeiro ministro exonerado do governo Bolsonaro, em fevereiro de 2019, ao se tornar o centro de uma crise instalada no Palácio do Planalto sobre "laranjas do PSL"

Autoridades se pronunciaram através de suas redes sociais para  falar da morte de Gustavo Bebiano. O ex-ministro de Bolsonaro, faleceu na madrugada deste sábado (14), segundo amigos da família, ele sofreu um infarto em seu sítio, em Teresópolis, região serrana do Rio de Janeiro, e morreu por volta das 5h30 em um hospital da cidade.

Foto: sobraldeprimaEx-Ministro Gustavo Bebiano
Ex-Ministro Gustavo Bebiano

O Presidente da Câmara, Deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), lamentou o falecimento de Gustavo Bebiano e destacou as qualidades do ex-ministro do Governo Bolsonaro.

Foto: Marcelo Camargo/EBCRodrigo Maia defende Fundo Partidário
Rodrigo Maia lamentou morte de Bebianno e declarou que mantinha com o ex-ministro um relacionamento repeitoso

"Lamento muito a morte precoce do Gustavo Bebianno. Tivemos um relacionamento muito respeitoso e ele sempre se mostrou correto e equilibrado no trato dos assuntos. Seria mais um bom quadro para a disputa na nossa cidade do Rio. Meus sentimentos aos seus familiares." afirmou

Foto: DivulgaçãoGeneral Santa Cruz
General Santa Cruz

No Twitter, o general Santos Cruz ex-ministro da Secretaria de Governo (Segov), também lamentou neste sábado a morte do ex-ministro Gustavo Bebianno. O general virou alvo de ataques de olavistas a militares do governo, quando era Ministro, capitaneados pelo escritor Olavo de Carvalho. Santos Cruz recebeu xingamentos em série do "guru" de Bolsonaro nas redes sociais, foi publicamente criticado pelo filho de Bolsonaro, Carlos, e sofreu uma onda de ataques no Twitter que disseminou a hashtag #ForaSantosCruz

Janaína Pascoal

Foto: Divulgação/TwitterDeputada Janaína Pascoal
Deputada Janaína Pascoal

"O Brasil perdeu um homem bom, um homem que trabalhou intensamente pelo bem deste país e nunca se revoltou por ter sido injustiçado. Há muito tempo, não sinto tanto uma morte. Minhas condolências à família do ex-Ministro Gustavo Bebianno".

Em notas, o PSDB e o governador paulista João Doria (PSDB) também lamentaram a morte de Bebianno."Com profundo pesar recebi a notícia da morte de Gustavo Bebianno. Seu falecimento surpreende a todos.

Foto: EBCGovernador de SP, João Dória, que promete privatizar todo o Sistema Penitenciário do Estado
Governador de SP, João Dória

O Rio perde, o Brasil perde. Bebianno tinha grande entusiasmo pela vida e em trabalhar por um País melhor. Meus sentimentos aos familiares e amigos nesse momento de dor", escreveu Doria.

Via redes sociais, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, se solidarizou com a família do ex-ministro Gustavo Bebianno, que morreu vítima de um infarto nesta madrugada, e disse deixar no passado divergências com o antigo chefe da Secretaria-Geral da Presidência.

"Nesse momento, deixo no passado divergências. Manifesto meus sentimentos à família e desejo que ele esteja em paz, em um lugar melhor", escreveu Weintraub.

Bebianno foi o primeiro ministro demitido do governo Bolsonaro, em fevereiro de 2019, ao se tornar o centro de uma crise instalada no Palácio do Planalto depois que a Folha de Sâo Paulo revelou a existência de um esquema de candidaturas laranjas do PSL para desviar verba pública eleitoral.

O partido foi presidido por ele durante as eleições de 2018, em campanha de Bolsonaro marcada por um discurso de ética e de combate à corrupção.

O Vice-presidente da República, general Mourão, foi o primeiro e único até esta noite de sábado (14) a manifestar-se lamentando a morte prematura do ex-ministro de Bolsonaro, Gustavo Bebianno. O Vice-presidente da República ao apresentar os pêsames à família enlutada, destacou a participação vitoriosa de Bebiaano na campnha que conduziu Jair Bolsonaro e ele prórpio à Presidência e Vice, da República, respectivamente.





Fonte: JTNEWS com informações de Mídias Sociais

Comentários