Advogada teria sido flagrada em presídio de MG ao tentar passar 'serra' e 2 celulares para presos

"Olha lá a advogada de bandido, deve ser bandida também... Defender o cliente não pressupõe que defendo o suposto crime por ele cometido. Defendemos a ampla defesa" [...] disse certa vez a advogada

A advogada criminalista, Fabíola Karine Nogueira Teago de Minas Gerais, teria sido presa na manhã da última sexta-feira (12/11) e conduzida à delegacia de polícia de Governador Valadares (MG), a condução teria sido realizada em seu próprio veículo, a causídica criminalista teria sido acompanhada do representante da OAB local, como assim determina o Estatuto da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Fonte do JTNEWS informou que a advogada após os procedimentos de praxe na Polícia Judciária foi posta em liberdade.

Foto: faBIolateago.criminalista/InstagramAdvogada Fabíola Teago, conduzida seu seu carro particular, em estado de flagrância até à Delegacia de Polícia
Advogada Fabíola Teago, conduzida em seu carro particular, em estado de flagrância até à Delegacia de Polícia de Governador Valadares em Minas Gerais

O fato conforme relatado em documento de registro do estabelecimento penal masculino de Governador Valadares, dar conta de que a advogada Fabíola Teago, estava no parlatório em atendimento ao interno, Edmilson Chiarelli Ambrósio, e neste momento teria sido flagrada pelo Policial Penal Edney Ferreira Moreira, tentando passar pela grade das baias do parlatório uma serra tipo 'segueta' para interno Edmilson Chiarelli.

Conforme relato do policial penal, Edney Ferreira, este ao assumir plantão ficou escalado no posto do parlatório, e antes de iniciar a alocação dos internos no parlatório realizou uma revista estrutural no ambiente, não detectando nenhuma alteração, que após o término de cada atendimento o servidor realiza revista no local onde os internosficam.

Consta ainda do documento: "Que por volta de 10:35 [dessa sexta-feira] a advogada Fabíola Karine Nogueira Teago, chegou ao Parlatório para atender seus clientes (IPLs), que já encontravam-se no interior do Parlatório. Conforme relatado pelo servidor Edney, por volta de 10:40 h, compareceu ao Parlatório onde ficam os advogados, de forma a verificar se todos os IPLs [denominação aos internos do estabelecimento penal] solicitados já estariam alocados para atendimento, momento em que percebeu a Advogada Fabiola Karine [...] em atitude suspeita, debruçada sobre a bancada da última báia do Parlatório, manuseando um objeto e empurrando-o entre as frestas da tela que separa os advogados dos IPLs, o servidor ao questionar a advogada Faíola, o que seria o objeto, esta ficou sem palavras, deixou o objeto entre as grades momento em que o Policial Penal, Edney Ferreira, retirou o objeto verificando ser uma serra tipo segueta, momento que acionou o restante da equipe para acompanhar o fato, a advogads alegava que a serra estava envolvida em fita crepe e por não saber o que seria o objeto estaria puxando-o para retirar da grade da tela.

De imediato foi acionado o Presidente da OAB local, Giuliano Almada de Oliveira [...], acompanhado do senhor advogado, Lucas Rodrigues Lustosa [...] que declinou da defesa, por questões pessoais e designou o Senhor advogado Lauro de Tassis Cabral [...] em substituição a sua presença para acompanhamento do fato, ocasião que foi anunciada sua prisão em flagrante [da advogada Fabíola Teago].

Após o ocorrido, a advogada Fabiola Karine ficou sob custódia dos Policiais Penais desta unidade, na sala da OAB, onde dado momento solicitou às Policiais Penais [...] da necessidade de usar o banheiro, as servidoras antes de autorizar o uso revistaram o banheiro, não constatando alteração autorizaram seu uso, após a advogada terminar o uso do banheiro, foi realizada nova vistoria no banheiro, sendo encontrados pela Policial Penal [...] 02 (dois) aparelhos Celulares smartphones da Marca Samsung escondidos dentro de um desentupidor de água. Este fato ocorrendo na presença dos representantes da OAB.

Anteriormente ao adentrar na unidade a Advogada passou pelo portal detector de metais que fica localizado em frente a porta de entrada da unidade, sendo emitido um sinal sonoro pela máquina, foi solicitado pela Policial Penal [...] que encontrava-se próxima ao portão de entrada que a Advogada passasse novamente pelo detector sem o relógio que estava utilizando, conforme solicitado foi procedido e novamente emitido sinal sonoro pela máquina, momento em que a Advogada [...] informou que teria em seu ombro direito 3 pinos de platina devido a uma cirurgia, mostrando a cicatriz para [os policiais penais]... levantou também sua blusa até a linha do umbigo para mostrar que não estaria com nada debaixo da blusa.  O IPL [interno] envolvido será conduzido pela escolta da unidade prisional." Este é o Relatório do Estabelecimento Penal mineiro onde o lamentáve fato foi constatado.

A advogada Fabíola Teago já emitiu importante opinião sobre ser advogado (a) de pessoas privadas de liberdade, Confira:

Os julgamentos são muitos. “Olha lá a advogada de bandido, deve ser bandida também”. “Como tem coragem de defender criminoso”, “você não tem medo?”

E pior, ainda tem o julgamento da própria família.

São pessoas que não conhecem a realidade daqueles que suplicam e muitas vezes não são ouvidos. É uma vida por trás daquelas grades, são famílias dilaceradas.

Defender o cliente não pressupõe que defendo o suposto crime por ele cometido. Defendemos a ampla defesa, o contraditório, a aplicação da lei como forma de ressocialização e não como uma sentença de morte.

No início confesso que esses julgamentos me deixava mal. Hoje? Ah... hoje vejo quem me julgou aplaudindo, copiando e mesmo os que ainda julgam, não me incomoda (sic) não os julgo, deixo para eles esse papel lamentável.

É minha missão mais genuína, é o que eu amo fazer, o que eu sei fazer. Sou adepta e prezo por uma advocacia criminal humanizada, uma advocacia em prol do réu, para que ele tenha uma defesa de excelência sempre.

Os resultados dos esforços diários são gratificantes. Tudo exatamente no seu tempo.

Trabalho com honestidade para acima de qualquer julgamento digam que sou uma profissional ética e competente.
Ser criminalista foi uma escolha minha. Confira a mensagem no Instagram pessoal da advogada criminalista, Fabíola Teago.

No contexto do fato

O julgamento fica para os que têm essa missão, ou seja, neste plano os (as) magistrados (as), que, evidentemente nem sempre julgam como deveriam [não constituindo uma regra]; não raras vezes cometem veredictos bastante parciais, ao ponto de serem anulados. Isso é fato!

Frize-se que no plano celestial, Aquele que tem todas as condições de julgar com plena imparcialidade, é Deus;  do julgamento deste, não há quem se livre, e muitas vezes começa até mesmo neste plano, antes da passagem para a Eternidade, é o que muitos de nós chamamos de "a lei do retorno."

Nesse caso específico, envolvendo a advogada criminalista, Fabíola Teago, evidentemtne ela vai ser julgada de forma a receber o devido processo legal, isto é, a ampla defesa e o contraditório; todavia, em sendo considerada culpada, jamais pode-se afirmar que advogado (a) de "bandido (a)" é também "bandido (a)", em absoluto, mas, que existem advogados que não raras vezes, escolhem como foco de suas ações de defesa de delinquentes, os policiais penais, isso existe; insinuando ser o policial penal mais culpado do que o seu cliente, como se este fosse "santo".

Profissionais da segurança pública que trabalham numa carga horária estressante [garantido o status de a 2ª profissão mais desgastante do mundo], estes são os policiais penais, para garantir a segurança dos que estão presos e dos que estão em liberdade [os pagadores de impostos] isso também é fato!

Deve haver, o quanto antes, um movimento conjunto da Ordem dos Advogados do Brasil e das entidades dos Policiais Penais do País, visando a um esforço sincero e plenamente verdadeiro, com base em premissas profissionais de ambos os lados, para que as prerrogativas de policiais penais e advogados sejam mutuamente cumpridas.

Pois, se ouve muito falar em prerrogativas dos advogados [o que é justo], mas esquecem que os policiais penais também têm as suas. O Desafio está posto.

O JTNEWS sempre está à disposição para quem desejar manifestar-se acerca do fato, sobretudo a advogada Fabíola Teago.

Essa é a nossa opinião, salvo melhor ou pior juízo.

Fonte: JTNEWS

Comentários