Wilson Camilo

.
.

Agentes Penitenciários e membros do MP prendem acusado de matar filha de agente no RJ

Secretaria de Estado de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro já atua em ritmo de Policia Penal tendo a Inteligência como ponto fundamental

Rio - Agentes da Superintendência de Inteligência do Sistema Penitenciário (Sispen), em parceria com a 21ª Promotoria de Investigação Penal (PIP) do Ministério Público estadual, após trabalho de inteligência no âmbito do Sistema Prisional do Estado do Rio de Janeiro, prenderam na manhã desta terça-feira (08) em Adrianópolis, Nova Iguaçu, Nilton Pereira, conhecido como "Neném".

Foto: TRIBUNANEWSJovem assassinada na Baixada
Estudante Marcela de Oliveira, assasinada covardemente na Baixada Fluminense pelo indivíduo Nilton Pereira, agora preso

“Nenén” após reagir à prisão, foi baleado, socorrido e encaminhado para o hospital mais próximo, onde segue preso sob custódia do Estado.

Nilton Pereira é suspeito de ser o autor do disparo que matou a estudante Marcela Souza de Oliveira, 26 anos, filha de um inspetor penitenciário do Estado do Rio de Janeiro.

Foto: Reprodução/Record-RioSISPEN RJ
Júlio César Veras Vieira - Superintendente Geral de Inteligência da SEAP-RJ

Após abordar a vítima com a intenção de roubar seus pertences, a jovem teria resistido e foi atingida com um tiro na nuca.

No total, o indivíduo Nilton, possui 10 anotações criminais, sendo três delas por homicídio.

Segundo a Superintendência de Inteligência do Sistema Penitenciário (Sispen), Nilton estava na condição de evadido desde 18 outubro de 2017, quando recebeu o benefício de visita periódica ao lar (VPL), o instituto penal Benjamim de Moraes Filho, e, não mais retornou à sua unidade prisional.

Foto: DivulgaçãoNilton Pereira
Nilton Pereira, assassina da estudante Marcela que agora está sob a custódia do Estado

A estudante Marcela de Souza Oliveira, desapareceu no dia 27 de maio do ano em curso e seu corpo foi encontrado no dia 1º junho em um rio de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. A perícia identificou que Marcela levou um tiro na parte de trás da cabeça.

Superintendente de Inteligência do Sistema Penitenciário do RIo de Janeiro, Júlio César Veras, assim manifestou-se acerca do fato:

"Após tomarmos ciência do crime bárbaro envolvendo a jovem Marcela, percebemos que um dos suspeitos era evadido sistema desde outubro de 2010. Uma triste coincidência, também, Marcela era filha de um agente penitenciário. Recebemos determinação expressa do governador Wilson Witzel para que todas as ações de inteligência do nosso sistema penitenciário fossem adotadas juntamente com informações de outros órgãos de inteligência do estado para que nós pudéssemos identificar os autores. Nessa manhã, uma equipe nossa, após alguns meses de trabalho, teve êxito na captura. Nós o abordamos na residência de sua atual companheira. O preso evadido reagiu à ação dos nossos agentes e disparou três tiros quanto então nós revidamos à injusta agressão, conseguimos baleá-lo e socorrê-lo imediatamente", superintendente geral do Sispen, Júlio Cesar Veras Vieira.

Todo conteúdo, imagem e/ou opinião constantes neste espaço são de responsabilidade exclusiva do(a) colunista. O material aqui divulgado não mantém qualquer relação com a opinião editorial do JTNEWS.

Comentários